Amaury de Medeiros e o Recife: arquitetura, cidade e higiene na década de 1920

Telma de Barros Correia

Regionalismo, arquitetura neocolonial, reforma da habitação, jardins

públicos, higiene e eugenia, são alguns dos temas envolvidos na intensa

atividade intelectual, profissional, parlamentar e de administrador público

do médico sanitarista Amaury de Medeiros (1893-1928).

No Recife, na década de 1920, conduziu uma ampla reforma dos serviços

de saúde e assistência médica, concebeu e dirigiu a fundação A Casa

Operária e foi um dos fundadores do Centro Regionalista do Nordeste.

Responsável pela construção de um conjunto expressivo de prédios de

arquitetura neocolonial, pela criação de jardins públicos de viés pitoresco

e por obras de drenagem vinculadas à urbanização do Derby e de

Boa Viagem, interferiu de forma profunda nas feições então assumidas

pela cidade.

Sumário:

 

Introdução

 

1. Sergio Loreto

1.1. A Eleição

1.2. O Juiz e o Político

1.3. Uma Insólita Conjunção de Eventos

1.4. O Governador e seus Auxiliares

1.5. O Governo

2. Amaury de Medeiros

2.1. A Família

2.2. Um Moço Aplicado

2.3. A Divina Sciencia

2.4. Uma Ágil Figura Diáfana

2.5. A Volúpia das Realizações

2.6. Os Companheiros

2.7. Higiene, Eugenia e Reforma Social

3. Saúde Pública

3.1. A Higiene e o Recife

3.2. A Cruzada Sanitária

3.3. Uma Dose Maciça de Educação Sanitária

3.4. A Saúde Pública na Capital e as Visitadoras

3.5. A Saúde Pública no Interior

3.6. O Congresso Municipal de Estradas, Instrução e Saúde Pública

3.7. A Expectativa Armada

4. Moradia e Saúde

4.1. A Casa que Mata

4.2. Cadastro e Regulamento Sanitário das Moradias

4.3. A Prefeitura do Recife e a Villa do Arrayal

4.4. A Fundação “A Casa Operária

4.5. A Villa Operaria Paz e Trabalho

4.6. Entre as Vilas de Fábrica e as Realizações do Estado Novo

5. Regionalismo

5.1. Cachaça, Caju e Mandioca

5.2. O Centro Regionalista do Nordeste

5.3. Natureza e Cultura

5.4. Repentes e Maracatus

6. Cidade e Tradição

6.1. O Estilo Neocolonial

6.2. Gilberto Freyre e Amaury: Tensões entre Tradição e Messianismo

Higiênico

6.3. A Escola Modelo e os Pavilhões Hospitalares

6.4. Neocolonial, Ecletismo Tipológico e Patrimônio

7. Cidade e Natureza

7.1. O Recife e as Águas: os pântanos e Boa Viagem

7.2. O Recife e as Árvores: o Fícus, as Gameleiras e o

Parque Oswaldo Cruz

7.3. A Prefeitura e os Jardins Públicos

7.4. O Derby de Delmiro Gouveia

7.5. O Derby com Sergio Loreto

7.6. Alagado e Cidade

8. A Ânsia dos Horizontes

8.1. Embates

8.2. A Classe Média Vai ao Palácio

8.3. O Ocaso

8.4. A Morte

8.5. A Sina do Azul

8.6. Higiene, Cidade e Memória

Bibliografia e Fontes

Indicações e Comentários

Referências

​ISBN: 978-65-86255-08-9
Formato: 16x23 cm​
​Paginas: 799
​Preço: R$ 90,00

Tel: 11-2365-0744 / 94898-0000 / 99637-6186

Mail: Joaquim@intermeioscultural.com.br

​Mail: Vendas@intermeioscultural.com.br

 

Horário de Funcionamento

Segunda à Sexta

10.00h - 18.00h

© 2015

  • w-googleplus
  • w-facebook