Tel: 11-2365-0744 / 94898-0000 / 99637-6186

Mail: Joaquim@intermeioscultural.com.br

​Mail: Vendas@intermeioscultural.com.br

 

Horário de Funcionamento

Segunda à Sexta

10.00h - 18.00h

  • w-googleplus
  • w-facebook

© 2015

Índios no Brasil – vida, cultura e morte

Maria Luiza Tuci Carneiro e Mirian Silva Rossi (org.)

Analívia Cordeiro . André Lopes Lasmar . Angelica Fabbri . Ayra Tupinambá. Vanessa Rodrigues dos Santos . Casé Angatu – Carlos José Ferreira dos Santos . Dinamam Tuxá . Antônio Fernandes de Jesus Vieira . Fabíola Andréa Silva . Felipe Milanez . Francisco Silva Noelli . João Paulo Jeannine Andrade Carneiro . José Sacchetta Ramos Mendes . Marcos Terena . Marilia Xavier Cury . Tulio Chaves Novaes . Vera Lucia Teixeira Kauss

Maria Luiza Tucci Carneiro e Mirian S. Rossi usaram de uma genuína sabedoria histórica na organização de “Índios no Brasil: vida, cultura e morte”. A obra é resultado da feliz e oportuna colaboração entre o “Instituto Hercule Florence” que tem como objetivo preservar a memória de viajantes estrangeiros no Brasil, no decorrer do Século XIX, com o trabalho do LEER que tem se dedicado ao estudo da história de violações de direitos humanos dos mais diversos grupos. A história dos povos indígenas no Brasil é uma história permeada de violações de direitos, mas é também a história da luta pela afirmação de um modo de vida diverso e singular. Ao propiciar o protagonismo de Povos indígenas por meio de suas falas e também de suas imagens o presente livro indica a forma relacional que o Estado Brasileiro deve exercer no que diz respeito aos índios. Uma relação pautada pelo respeito à autonomia e singularidade e não pela violência e tutela.

(Guilherme Assis de Almeida – Faculdade Direito/USP)

 

Libelo em prol dos povos indígenas

Este livro deve ser lido como um manifesto que grita pelo respeito aos Direitos Humanos e a preservação dos povos indígenas no Brasil. Através de um conjunto de textos e imagens publicados nesta coletânea, alertamos para a conivência do Estado e de segmentos da sociedade brasileira com a execução um plano silencioso  de destruição das bases essenciais de vida  e cultura das comunidades indígenas brasileiras. Silencioso, nem tanto, talvez mais adequado seja a expressão “secular”.

Os textos alertam para uma complexa interação de fatores herdados do colonialismo, do racismo e do capitalismo selvagens. No formato de ensaios apresentamos distintas  visões interpretadas através da lente do direito, da história, da antropologia, da geografia, da arquivologia e da iconografia. Vários autores  falam em nome de suas comunidades [indígenas] que carecem de lugares e público.

As imagens aqui reproduzidas – do Arquivo Nacional, do Instituto Hercule Florence e acervos pessoais  - não são meras ilustrações. São vestígios da história de um povo, elementos de denúncia de um etnocídio secular que corrói as poucas comunidades indígenas que ainda existem. Alguns exemplares já não estão entre nós, são agora legendas. Se alguns grupos ainda existem,  são sobreviventes.

Leiam e, como cidadãos brasileiros, indignai-vos !

 

(Maria Luiza Tucci Carneiro Historiadora e Coordenadora do LEER/USP)

SUMÁRIO

Mensagem - Antonio Florence - Presidente do Instituto Hercule Florence

Apresentação

Maria Luiza Tucci Carneiro – LEER-USP

 

Parte I.   Vozes Indígenas

 

Povos Indígenas e o Cidadão da Selva - M. Marcos Terena

Protagonismos Indígenas: (re)existências indígenas e indianidades

Casé Angatu (Carlos José Ferreira dos Santos)

Ayra Tupinambá (Vanessa Rodrigues dos Santos)

O Povo Indígena Tuxá e a Luta Territorial

Dinamam Tuxá (Antônio Fernandes de Jesus Vieira)

 

 

Parte II.   A Presença Indígena: uma arqueologia do passado recente

 

Legislação indigenista internacional: da Lei de Burgos de 1512 ao sistema Onusiano de Direitos Humanos

 André Lopes Lasmar

Sobre um (des)Encontro Colonial: uma arqueologia do passado recente dos Asurini do Xingu

Fabíola Andréa Silva e Francisco Silva Noelli

 

Parte III.   Imagens, História e Memória

 

Retrato e Autorretrato: literatura brasileira e literatura indígena

Vera Lucia Teixeira Kauss   

 Manuara

Analívia Cordeiro

Memórias do Território: resistência Kaingang no oeste de São Paulo

Marília Xavier Cury

 

Memórias do Território e Resistência Kaingang: a contribuição e   experiência do Museu Índia Vanuíre

 Angélica Fabbri e Marília Xavier Cury

Parte IV.   Genocídio Indígena: silêncios e denúncias

“Tempo de Correria”: histórias de um genocídio indígena no alto Juruá

João Paulo Jeannine Andrade Carneiro

 

Genocídios nas Memórias Sertanistas: violências epistêmicas na transição

Felipe Milanez

Belo Monte: protótipo de um extermínio étnico anunciado

Tulio Chaves Novaes

O Genocídio Kaingang e a Metáfora da Guerra: sertão do Bauru, 1856-1912

José Sacchetta Ramos Mendes

 

Parte V. Sob o Olhar Europeu: imagens de arquivo

 

Itinerários Indígenas

Maria Elizabeth Brea Monteiro e Claudia Beatriz Heinemann (Curadoras). Arquivo

Nacional, Rio de Janeiro.

Testemunhos de Hercule Florence, imagens da vida, cultura e morte dos índios no Brasil

Maria Luiza Tucci Carneiro

​ISBN: 978-85-8499-149-5
Formato: 16x23 cm​
​Paginas: 300

​Preço:R$ 50,00