Tel: 11-2365-0744 / 94898-0000 / 99637-6186

Mail: Joaquim@intermeioscultural.com.br

​Mail: Vendas@intermeioscultural.com.br

 

Horário de Funcionamento

Segunda à Sexta

10.00h - 18.00h

  • w-googleplus
  • w-facebook

© 2015

Pra frente, Brasil! – do maracanazzo aos mitos de Pelé e Garrincha, a dialética da ordem e da desordem (1950-1983)

 

Denaldo Alchorne de Souza

Na Copa do Mundo da Suécia, em 1958, dois jogadores de futebol se consolidaram como mitos forjados pelos trabalhadores, numa espécie de síntese das diversas representações de identidade nacional que se confrontavam e coexistiam num mesmo contexto. Estamos falando dos mitos de Pelé e de Garrincha. A popularidade desses dois mitos não devia somente às suas excepcionalidades com a bola no pé ou por conta de seus inúmeros títulos conquistados. Devia também a postura que ambos tiveram com contexto social em que viveram após a Copa da Suécia até o início da década de 1980. Nesse período, os mitos de Pelé e Garrincha foram frutos de constantes lutas materiais e simbólicas efetivadas por diferentes atores sociais que buscavam o enquadramento ou o silenciamento dessas simbologias aos seus interesses político-ideológicos. Assim, o objetivo aqui proposto é estudar como o futebol e, particularmente, os mitos de Pelé e de Garrincha foram utilizados simbolicamente por diferentes atores sociais – com destaque para o Estado, a grande imprensa comercial e os trabalhadores – na construção da identidade nacional no Brasil.

SUMÁRIO

1ª PARTE: O Maracanazo e a desconstrução dos discursos sobre a identidade nacional (1950-1958)

Capítulo 1: 16 de Julho. A Copa do Mundo do Brasil: 1950

Capítulo 2: Maracanazo. A grande imprensa comercial: 1950-1958

Capítulo 3: A Taça do Mundo É Nossa. Discurso oficial, campo político e campo esportivo: década de 1950

 

2ª PARTE: Os mitos de Pelé e Garrincha e a dialética da ordem e da desordem (1958-1964)

Capítulo 4: O Rei Pelé. Mitos populares e identidade nacional: 1958-1963

Capítulo 5: O Rei Mané. Mitos populares e identidade nacional: 1958-1963

Capítulo 6: Viagem em Torno de Pelé. Enquadramento dos mitos populares: 1958-1964

Capítulo 7: Estrela Solitária. Enquadramento dos mitos populares: 1963-1964

 

3ª PARTE: Regime militar e futebol, enquadramento e silenciamento (1964-1983)

Capítulo 8: Brasil, Ame-o ou Deixe-o! Enquadramento dos mitos populares: 1964-1969

Capítulo 9: Parece Que Todo o Brasil Deu a Mão! Discurso oficial, campo político e campo esportivo

Capítulo 10: O Rei & O Sonho. Mitos populares: enquadramento, silenciamento e resistência: 1969-1983

​ISBN: 978-85-8499-119-8
Formato: 16x23 cm​
​Paginas: 320

​Preço:R$ 50,00