Quem Tem Medo de Teoria? – A ameaça do pós-modernismo na historiografia Americana

José Antonio Vasconcelos

Neste livro, José Antonio Vasconcelos apresenta um mapeamento da conjuntura intelectual norte-americana do final da década de 1980 a nossos dias, buscando assim explicar o confronto entre o pós-modernismo e seus adversários no campo da historiografia. Mais do que uma corrente teórica bem articulada, o pós-modernismo constitui na verdade um conjunto difuso de posicionamentos, cuja característica comum consiste na recusa dos grandes modelos explicativos. No caso específico da historiografia, os autores pós-modernistas revelam uma acentuada tendência a questionar a objetividade na escrita da História. A obra tem como fio condutor uma polêmica desenvolvida nas páginas da American Historical Review no final dos anos 1980 e início dos anos 1990. Ao descartar a necessidade do contexto como referência obrigatória na reconstrução do passado, argumentam os pós-modernistas, os historiadores estariam se abrindo a novos modos de representação dentro de seu campo de estudo. Trata-se de um debate extremamente rico, no qual as questões levantadas ultrapassam as fronteiras da História enquanto disciplina e estabelecem um profícuo diálogo com a Teoria Literária e a Filosofia da Linguagem.

Sumário:

 

PREFÁCIO À SEGUNDA EDIÇÃO

PREFÁCIO À PRIMEIRA EDIÇÃO (CÉLIA AZEVEDO)

introdução

CAPÍTULO I – SITUANDO O DEBATE

1. A HISTORIOGRAFIA AMERICANA ATÉ A DÉCADA

DE 1980

1.1. Da abordagem “científica” ao culto do consenso na

historiografia americana

1.2. Vozes dissonantes: a Nova esquerda americana e as

minorias sociais

1.3. A influência dos movimentos de direitos civis

2. A PERCEPÇÃO DE UMA CRISE EPISTEMOLÓGICA

3. O DEBATE TEÓRICO NA AMERICAN HISTORICAL

REVIEW

20 quem tem medo de teoria?

CAPÍTULO II – A HISTÓRIA SITIADA

1. AS SINTOMÁTICAS PREOCUPAÇÕES DE UM

HISTORIADOR

2. HISTÓRIA E PÓS-MODERNISMO

2.1. Como definir o pós-modernismo?

2.2. O pós-modernismo e a escrita da História

3. HISTÓRIA E PÓS-ESTRUTURALISMO

3.1 Estruturalismo e pós-estruturalismo

3.2. Identidade e diferença: de Descartes a Nietzsche

3.3. Pós-estruturalismo: Foucault e Derrida

3.4. Para onde vai a História a partir de agora?

4. A ANTROPOLOGIA CULTURAL

4.1. A abordagem estruturalista

4.2. A abordagem culturalista

4.3. História e Antropologia: entendimentos e desacertos

5. O NOVO HISTORICISMO E A HISTORIOGRAFIA

CONTEMPORÂNEA

5.1. Novo Historicismo e Nova Crítica

5.2. Novo Historicismo e Crítica Marxista

5.3. Características gerais do Novo Historicismo

5.4. Novo Historicismo e Historiografia

6. O PÓS-MODERNISMO: UM MAL A SER ELIMINADO?

CAPÍTULO III – A ABORDAGEM PÓS-ESTRUTURALISTA

DE J. DERRIDA

1. A DESCONSTRUÇÃO

1.1. A desconstrução em Derrida

1.2. A desconstrução na Teoria Literária

José Antonio Vasconcelos 21

2. A POLÊMICA COM A FILOSOFIA ANALÍTICA

2.1. A crítica ao fonocentrismo

2.2. A crítica de Derrida à teoria dos atos da fala

CAPÍTULO IV – O QUE ESTÁ EM JOGO NO ARTIGO DE

HARLAN?

1. AS INSUFICIÊNCIAS DE HARLAN E DE SEUS

CRÍTICOS

1.1. A crítica de Harlan às teorias de Skinner

1.2. A desconstrução na ótica de Harlan

1.3. Os críticos da abordagem pós-modernista da História

2. A CONFIGURAÇÃO POÉTICA NA ESCRITA DA

HISTÓRIA

CONSIDERAÇÕES FINAIS

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

QUEM TEM MEDO DE TEORIA.jpg

​ISBN: 978-65-86255-21-8
Formato: 16x23 cm​
​Paginas: 260

​Preço:R$ 60,00